Guarda Fátima.JPG

 

Manuel Felício - Sé da Guarda - dia 27 de Setembro

Consagração da Diocese da Guarda ao Imaculado Coração de Maria

Virgem Maria, Senhora de Fátima:

 

À vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus”!

Ao pronunciar estas palavras da antífona com que a Igreja de Cristo reza há séculos, encontramo-nos hoje diante de Vós, ó Mãe Imaculada, no dia em que recebemos na nossa Diocese da Guarda a vossa imagem peregrina, estamos aqui unidos e em comunhão com todos fiéis da nossa Diocese e suas comunidades; e estamos unidos por um vínculo particular, pelo qual constituímos um corpo sob orientação dos pastores que o vosso bendito e amado filho, por graça, nos concede, do mesmo modo que os Apóstolos, por vontade do mesmo Cristo, qual Igreja nascente, constituíram um só corpo e um colégio com Pedro.

No vínculo desta unidade, pronunciamos as palavras do presente Acto de Consagração, no qual desejamos incluir, uma vez mais, as esperanças e as angústias da Igreja e do mundo contemporâneo e as aspirações desta porção de Povo de Deus que peregrina por terras da Beira Serra.

 

Desde o Papa Pio XII, quando tinha diante dos olhos as dolorosas experiências da família humana, durante a segunda guerra mundial, que está confiado e consagrado ao Vosso Coração Imaculado todo o mundo e especialmente os Povos que, pela situação especialmente difícil em que se encontravam, eram vítimas da guerra e obrigados a fugir das suas terras. Hoje continua o drama dos refugiados. Então como agora, já o sabemos, esses são particular objecto do Vosso amor e da Vossa solicitude.

É este mundo dos homens e das nações que nós também hoje temos diante dos olhos: o mundo do Terceiro Milénio que está a dar ainda os primeiros passos, o mundo contemporâneo, o nosso mundo!

A Igreja, lembrada das palavras do Senhor: “Ide… e ensinai todas as nações… Eis que eu estou convosco todos os dias, até ao fim do mundo”, reavivou, no Concílio Vaticano Segundo, a consciência da sua missão neste mundo e nós diocese da Guarda estamos a revisitar o mesmo concílio nas suas orientações para darmos cumprimento ao mandato missionário que recebemos de Cristo, na qualidade de seus discípulos.

Por isso, ó Mãe dos Homens e dos povos, Vós que conheceis todos os seus sofrimentos e as suas esperanças, Vós que sentis maternalmente todas as lutas entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas, que abalam o nosso mundo contemporâneo, acolhei o nosso clamor que, movidos pelo Espírito Santo, elevamos directamente ao Vosso Coração; e abraçai, com o amor da Mãe e da Serva do Senhor, este nosso mundo humano, que Vos confiamos e consagramos, cheios de inquietude pela sorte terrena e eterna dos homens e dos povos. Faz, Mãe Santíssima e imaculada que se possam cumprir as palavras do Papa Francisco, há dois dias diante da assembleia geral das Nações Unidas, pedindo empenho dos responsáveis desta instituição para que todos possam ter casa, trabalho e pão juntamente com a liberdade, incluindo a liberdade de reconhecer e prestar culto a Deus.

De modo especial Vos entregamos e consagramos aqueles homens e aquelas nações, que, no meio do seu desespero batem todos os dias às portas da Europa pedindo o acolhimento e as condições de vida digna que lhes são negados nas suas terras de origem.

 “À Vossa protecção nos acolhemos Santa Mãe de Deus!” Não desprezeis as nossas súplicas que a vós elevamos, nós que estamos em provação!

 

  1. Encontrando-nos hoje diante de Vós, Mãe de Cristo, diante do Vosso Coração Imaculado, desejamos, juntamente com toda a Igreja, unir-nos à consagração que, por nosso amor, o Vosso Filho fez de Si mesmo ao Pai, com as seguintes palavras: “Por eles eu consagro-me a Mim mesmo para eles serem também consagrados na verdade”.

Levados pela vossa mão de Mãe Imaculada queremos unir-nos ao nosso Redentor, nesta Sua consagração pelo mundo e pelos homens, a qual, no seu Coração divino, tem o poder de alcançar o perdão e de conseguir a reparação.

A força desta consagração redentora do Vosso amado Filho permanece por todos os tempos e abrange todos os homens, os povos e as nações; e supera todo o mal, que o espírito das trevas é capaz de despertar no coração do homem e na sua história, e que, de facto, continua a despertar na actualidade, com tantos irmãos nossos em fuga por causa da guerra e das perseguições, mesmo por causa da sua Fé.

Mãe puríssima e imaculada, ajuda-nos a abraçar, em união com o próprio Cristo, a consagração pela humanidade e pelo mundo: pelo nosso mundo contemporâneo! Na realidade, a obra redentora de Cristo em favor do mundo é para ser participada por toda a Igreja. E nós Diocese da Guarda, ao manifestarmos o nosso grande júbilo pela visita imerecida que nos fazeis, Mãe santíssima, queremos, com a vossa protecção e ajuda maternal, entrar no mesmo movimento de consagração e entrega pela salvação do mundo, em união com Cristo. Para isso nos convoca o Jubileu extraordinário de toda a Igreja, que está promulgado pelo Santo Padre o Papa Francisco, o Jubileu extraordinário da Redenção.

Sede bendita, neste Ano Santo, acima de todas as criaturas, Vós, Serva do Senhor, que obedecestes da maneira mais plena ao chamamento divino!

Sede louvada, Vós que estais inteiramente unida à consagração redentora do Vosso Filho!

Mãe da Igreja! Iluminai o Povo de Deus nos caminhos da fé, da esperança e da caridade! Iluminai de modo especial o povo português e as gentes das nossas terras para aos quais queremos renovar, diante de vós Mãe Imaculada, a nossa consagração e a nossa entrega. Ajudai-nos a viver na verdade da consagração de Cristo pela inteira família humana do mundo contemporâneo.

 

  1. Confiando-Vos, ó Mãe, o mundo, todos os homens e todos os povos, nós vos consagramos hoje, de modo particular, toda a nossa Diocese da Guarda, depositando-a no Vosso Coração materno. Olhai, Mãe santíssima, para os nossos propósitos de seguir os caminhos do Evangelho para serviço da inteira sociedade humana. Depois do esforço que fizemos, durante quatro anos para revisitar e estudar o Catecismo da Igreja Católica; depois de três anos em que estivemos empenhados em promover o reencontro com a Palavra de Deus e a experiência da Lectio Divina, em todos os fiéis e suas comunidades, estamos agora em caminhada sinodal para, à luz das orientações conciliares do Vaticano II, definirmos os caminhos do futuro para a nossa Diocese, para as nossas comunidades paroquiais e outras. Nós vos consagramos, nesta hora de grande alegria agradecida pela vossa visita, todos os nossos projectos e sobretudo o propósito de aprofundarmos a comunhão que o concílio nos recomenda e o nosso sonho missionário de chegar a todos com a Boa Nova do Vosso Filho Jesus Cristo.

Em vossa solicitude materna, Virgem Imaculada, velai pela nossa Diocese e suas comunidades para que nunca lhe faltem os servidores do Evangelho que ela precisa, a começar pelo serviço do Ministério sacerdotal. Fazei que mais jovens escutem e sigam generosamente o apelo do Senhor para se decidirem pela vida de especial consagração. Que a mensagem deste ano da vida consagrada lhes possa tocar o coração.

 

Oh, Coração Imaculado! Ajudai-nos a vencer a ameaça do mal que tão facilmente se enraíza nos corações dos homens de hoje e que, nos seus efeitos incomensuráveis, pesa já sobre a nossa época e parece fechar os caminhos do futuro!

Da fome e da guerra livrai-nos!

Da guerra nuclear, de uma autodestruição incalculável e de toda a espécie de guerra, livrai-nos!

Dos pecados contra a vida do homem desde os seus primeiros instantes, livrai-nos!

Do ódio e do aviltamento da dignidade dos filhos de Deus, livrai-nos!

De todo o género de injustiças na vida social, nacional e internacional, livrai-nos!

Da facilidade em calcar aos pés os mandamentos de Deus, livrai-nos!

Da tentativa de ofuscar nos corações humanos a própria verdade de Deus, livrai-nos!

Da perda da consciência do bem e do mal, livrai-nos!

Dos pecados contra o Espírito Santo, livrai-nos, livrai-nos!

Acolhei, ó Mãe de Cristo, este clamor carregado de sofrimento de todos os homens!

Carregado do sofrimento de sociedades inteiras! Da Sociedade Portuguesa e das gentes das nossas terras.

Ajudai-nos com a força do Espírito Santo a vencer todos os pecados: o pecado do homem e o "pecado do mundo", enfim, o pecado em todas as suas manifestações.

Que se revele, uma vez mais, na história do mundo a infinita potência salvífica da Redenção: a força infinita do Amor Misericordioso! Que ele detenha o mal! Que ele transforme as consciências! Que se manifeste para todos, no Vosso Coração Imaculado, a luz da Esperança!

Obrigado Mãe Imaculada.

publicado por dioceseguardacsociais às 12:34