Projecto “Passos à volta da memória” decorre até 31 de Agosto

 

Começou na passada terça-feira, dia 7 de Junho, a iniciativa “Passos à volta da memória - uma visita encenada à Sé Catedral da Guarda”, promovida pela Empresa Municipal Culturguarda em parceria com a Câmara Municipal.

As visitas realizam-se até 31 de Agosto, de terça-feira a sexta-feira, com sessões às 10.30 horas e às 16.00 horas e aos sábados, com uma sessão às 17.30 horas.

Durante as visitas encenadas, um actor guia os visitantes, contando histórias e segredos sobre a Sé Catedral, uma das mais antigas, bonitas e imponentes catedrais de Portugal.

A sessão inaugural realizou-se na terça-feira, com o actor André Amálio, e contou com a participação de muitos visitantes e também do Governador Civil da Guarda, Santinho Pacheco, e do vice-presidente da Câmara Municipal, Virgílio Bento.

Os visitantes foram recebidos pelo actor, que interpreta a figura do cavaleiro Pedro Henrique Teles, que está sepultado no interior do monumento. “Vinde que vos quero contar a história da minha casa”, disse, convidando os presentes a segui-lo na visita que começou no exterior, passou pelo interior, voltou ao exterior (à porta principal), prosseguiu pelo exterior e voltou a entrar na Sé, tendo também incluído a cúpula do monumento.

Durante a visita são feitas referências e dadas explicações sobre o retábulo, as gárgulas, os recantos escondidos, as portas, as janelas, as capelas (dos Pinas e dos Ferros), os estilos de construção e o tempo que levou a ser edificada. “Demorou 150 anos a construir”, disse o cicerone, salientando que a sua construção terminou em 1540. Também contou que a actual Catedral “não foi a primeira Sé da cidade”, pois existiu uma outra no local “onde está hoje a Igreja da Misericórdia”.

Durante a visita nada é esquecido, ao ponto de o guia referir que o monumento tem 52 metros de comprimento e mais de 20 metros de altura, na zona da abóbada central. A visita é feita com muito ritmo e em perfeita interacção com o público, que a certa altura, até é convidado a sentar-se na escadaria interior da Sé, junto da porta principal.

Durante a primeira visita, alguns dos presentes confidenciaram ao Jornal A Guarda trata-se de uma visita “muito agradável” e de “uma autêntica aula de História” em torno daquele monumento.

Na apresentação da iniciativa, Américo Rodrigues reconheceu que a animação contribuirá “para a atracção de visitantes ao centro da cidade, para dinamizar o centro histórico, enriquecer a oferta turística e renovar a atenção para a importância histórica, religiosa, cultural e turística do principal monumento da cidade”.

“Passos à volta da memória - uma visita encenada à Sé Catedral da Guarda”, surge no seguimento da actividade realizada no ano passado no Centro Histórico e as visitas têm a duração de cerca de uma hora.

A concepção e coordenação geral é de Américo Rodrigues e a encenação pertence a Antónia Terrinha, segundo o texto de Pedro Dias de Almeida. A interpretação é dos actores Miguel Moreira e André Amálio que, em períodos diferentes, guiarão o público.

A organização distribui aos visitantes o “Esboceto histórico-artístico da Sé Catedral da Guarda”, monografia sobre a Sé Catedral da Guarda da autoria do historiador de arte João Paulo Martins das Neves.

A inscrição para a visita encenada não é obrigatória. No entanto, no caso de grupos, a organização poderá ser contactada através do telefone 271205 240 para marcação de dia e hora.

A iniciativa tem o apoio da Diocese da Guarda e do Ministério da Cultura, através da Direcção Regional de Cultura do Centro.

Trata-se de uma actividade levada a cabo no âmbito do Projecto de Teatralização do Centro Histórico, fruto da candidatura “Política de Cidade - Parcerias para a Regeneração Urbana Eixo 2 - Desenvolvimento das Cidades e dos Sistemas Urbanos” e através do Programa Mais Centro do Quadro de Referência Estratégico Nacional.

 

publicado por dioceseguardacsociais às 10:03