Comissão Fabriqueira não tem verbas suficientes para avançar com o projecto

 

A Comissão Fabriqueira da Paróquia de Badamalos, no concelho do Sabugal, está a reunir verbas para poder avançar com as obras de restauro da Igreja Matriz, dedicada a S. Bartolomeu, que se encontra degradada e a necessitar de uma intervenção urgente.

O Secretário da Comissão Fabriqueira, João Nobre, explicou que o templo religioso “precisa de obras consideráveis”. “Para além da colocação de um novo telhado, substituindo a actual estrutura de madeira por uma de ferro, temos que substituir o forro, todas as portas e janelas, de restaurar o coro e de realizar melhoramentos ao nível das paredes interiores e exteriores e do pavimento”, contou.

João Nobre disse que o orçamento para a intervenção global, pelas contas do arquitecto que desenhou o projecto, “aponta para um investimento da ordem dos 70 mil euros, sem IVA”, dinheiro que a Paróquia “não tem”. “A Paróquia não tem essa verba, nem nada que se pareça. Com grande esforço, neste momento, temos cerca de 40 mil euros”, disse.

O responsável referiu que a Comissão Fabriqueira de Badamalos (formada pelo padre Hélder, João Nobre, Natália Valente, Manuel Vaz, José Messias e Isabel Monteiro) está agora na fase de avançar para a auscultação das firmas construtoras. “Estamos à espera que nos tragam os orçamentos e, ainda não sabemos se irão andar pelo mesmo valor avançado pelo arquitecto que fez o projecto, ou se serão maiores”.

Com o objectivo de angariar verbas para as obras, os elementos da Comissão Fabriqueira de Badamalos já realizaram peditórios juntos dos habitantes da freguesia e dos residentes no estrangeiro e em outros pontos do País, que ali se deslocaram durante as férias do Verão. “Tivemos alguma aderência mas é curta para aquilo de que precisamos. Tivemos algumas surpresas positivas e outras menos positivas”, referiu João Nobre, garantindo que todas as pessoas “são unânimes em reconhecer a necessidade de a obra ser efectuada”. “Algumas das pessoas que contribuíram, mostraram-se disponíveis a fazê-lo novamente, em caso de necessidade”.

No entanto, apesar do esforço e da boa vontade da população, a Paróquia tem batido a “várias portas” no sentido de recolher fundos para a intervenção que é urgente e necessária. “Temos procurado socorrer-nos de instituições, no sentido de nos ajudarem. Submetemos um projecto ao Programa de Restauro de Propriedades Urbanas de Utilização Colectiva, para sermos comparticipados na realização desta obra”, contou João Nobre, acrescentando que o próprio Governador Civil da Guarda esteve em Badamalos no domingo, dia 29 de Agosto, a quem recorremos, para ver se através dele conseguimos alguma ajuda. Ele prometeu desenvolver esforços no sentido de nos ajudar”. Acrescentou que o presidente da Câmara Municipal do Sabugal, também alertado para o problema, prometeu que a autarquia iria contribuir com “7.500 euros”.

O desejo da Comissão Fabriqueira era que as verbas reunidas permitissem que as obras fossem feitas de uma só vez, de forma contínua, mas, se tal não acontecer, João Nobre assegura que poderão ser realizadas “de forma faseada, dando prioridade ao telhado”. O telhado é a prioridade devido às infiltrações de água que ocorrem durante o Inverno, sobretudo na Capela-Mor, cujo tecto é revestido por 24 caixotões pintados.

“O grande perigo da ruína é a água que já começou a entrar no lado da Capela-Mor e tememos que as infiltrações possam danificar as pinturas e a arte sacra”, apontou o padre Agostinho Crespo Leal, natural de Badamalos.

Os cerca de 50 residentes de Badamalos, também gostavam que as obras abrangessem a recuperação da talha dos altares e de outras peças de arte sacra mas, como reconhece o Secretário da Comissão Fabriqueira, “150 mil euros não chegariam para a realização dessas obras”, referindo que só para a recuperação da arte sacra existe um orçamento que ronda os 61 mil euros.

A freguesia de Badamalos dista cerca de 28 quilómetros da sede concelhia.

A Paróquia foi uma abadia da apresentação do reitor de S. Pedro de Vilar Maior, em cujo concelho se situava antes de integrar o concelho do Sabugal. A Igreja Matriz, que é de origem muito antiga, foi restaurada em meados do século XX, mas já necessita novamente de obras.

publicado por dioceseguardacsociais às 11:59