No próximo domingo, 13 de Setembro, o Bispo da Guarda, D. Manuel Felício vai presidir à cerimónia da dedicação da Igreja da Santíssima Trindade, na Estação, Covilhã. O cortejo terá início na Capela Velha da Estação, onde, às 16.30 horas, terá lugar a paramentação. “Começamos na Capela velha para haver um traço de união na celebração”, explica Agostinho Rafael, pároco do lugar. Com a cerimónia da dedicação, chega ao fim um projecto que sofreu várias alterações e que foi iniciado há mais de dez anos. “Houve um projecto inicial, do tempo do padre José Baptista, mas que não foi concretizado” explica o padre Agostinho Rafael, que entrou no processo “há quatro ou cinco anos”. E adianta: “nessa altura ainda estávamos com o projecto do padre Zé mas desistimos desse projecto e fomos para um projecto menos grandioso e mais acessível em termos financeiros”. A Igreja da Santíssima Trindade, localizada na zona da Estação, na confluência das paróquias de Santa Maria e são Pedro, é composta por dois pólos: “Num pólo vai funcionar a Capela da semana, que será a capela do Santíssimo, salas para reuniões, salas de catequese, sacristia e casas de banho e no outro funcionará a Igreja para as grandes celebrações, com capacidade para 400 pessoas sentadas, o baptistério, a torre e a capela mortuária”. Apesar da Igreja da Santíssima Trindade ser inaugurada no próximo domingo, Agostinho Rafael disse que “haverá pormenores que serão concluídos mais tarde, nomeadamente uma imagem de Cristo e a Via-Sacra”. O projecto, agora concluído, ronda mais de um milhão e duzentos mil de euros, verba que o pároco ainda não conseguiu arranjar na totalidade. “Vamos ficar com uma carga grande, pois tivemos de contrair empréstimos, mas fico satisfeito pela conclusão das obras”, adiantou o Agostinho Rafael. Para o pagamento ao empreiteiro, o pároco tem contado com alguns apoios, nomeadamente da Câmara Municipal, e com a negociação do silo-auto e ofertas das pessoas. Apesar das contingências financeiras, o padre Agostinho Rafael acredita que, o próximo domingo, “vai ser um dia de festa para a Estação e para a Covilhã”. Quanto à designação adianta que “o nome de Igreja da Santíssima Trindade foi escolhido pelo padre José Baptista Fernandes, logo quando deu início ao projecto”.
publicado por dioceseguardacsociais às 16:06