Tendo em vista a preparação das ordenações que irão decorrer, na Sé Guarda, no dia 27 de Junho, D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, divulgou a seguinte nota, com data de 14 de Junho:

“No próximo dia 27 do corrente mês de Junho, na Sé Catedral e às 16.00 horas, a nossa Diocese vai viver uma jornada de Fé, de louvor a Deus e também de aprofundamento do seu compromisso cristão, ao acolher os novos padres e diáconos que o Senhor nos dá.

Ao terminar um Ano Sacerdotal, queremos viver esta jornada na recordação dos apelos que, durante ele, nos foram feitos.

Assim, aos sacerdotes foi-nos pedida revisão da nossa fidelidade diante da medida da fidelidade do próprio Cristo; ao Povo de Deus em geral foi pedida valorização do Ministério Sacerdotal no seu específico e na boa articulação com os outros ministérios e serviços eclesiais que o Espírito Santo suscita continuamente na Igreja; a todos nos foi pedido maior empenho na pastoral das vocações sacerdotais.

Em dia de Ordenações, queremos recordar que a vocação sacerdo­tal é, antes de mais, uma chamada muito pessoal que Deus faz aos que entende. Para que essa chamada seja percebida e respondida precisamos de ambientes apropriados, que são as famílias, as paróquias e sobretudo o próprio exercício do Ministério Sacerdotal em si mesmo por aqueles que já fomos ordenados. É preciso depois que o discernimento e a preparação dos candidatos sejam feitos com ajuda da comunidade da Fé, sobretudo através dos instrumen­tos apropriados que são, no nosso caso, os dois Seminários (o Maior e o Menor) e o Pré-Seminário ou Seminário em Família. Depois de feito o discernimento e a devida preparação, que culmi­nam com a chamada final à Ordenação, precisamos de continuar a acompanhar os nossos padres e diáconos, sobretudo pela oração, proporcionando-lhes todos os meios necessários para o exercício do Ministério, na santidade de Cristo.

Convido, por isso, toda a Diocese à oração mais intensa, nestes dias que nos separam da celebração das Ordenações de diáconos e presbíteros por aqueles que vão ser ordenados para que o seu exercício do Ministério seja, de verdade, interpretação fiel, na Igreja, no mundo e nas circunstâncias actuais, do autêntico rosto de Cristo Bom Pastor”.

publicado por dioceseguardacsociais às 16:02