Abril foi o mês escolhido, pelos padres da Diocese da Guarda, para a realização da Assembleia Geral do Clero. A decisão foi votada esta tarde, no final dos trabalhos das Jornadas de Formação que, durante dois dias, juntaram cerca de uma centena de sacerdotes, no Seminário Maior da Guarda. Ainda sem dias marcados, a Assembleia Geral do Clero tem vindo a ser preparada, ao longo das últimas semanas, por todos os sacerdotes, em reuniões por grupos etários.

O Secretariado da Assembleia Geral já apresentou uma primeira selecção de 14 temas, abrangentes de interrogações, problemas e desafios apontados pelos padres. “Comunhão no Presbitério e nova Evangelização”; “Evangelização e testemunho de vida”; Testemunho de vida sacerdotal e novas vocações sacerdotais”; “Fidelidade ao Evangelho e presença no Mundo”; “As estruturas diocesanas: análise e remodelação”; “As dificuldades da vida sacerdotal hoje: levantamento e soluções”; “A vida espiritual do Padre e a prática cristã dos fiéis”; “Unidade no presbitério e trabalho pastoral intergeracional”; “Relação do clero com os leigos na prática pastoral”; “A formação permanente do clero e do Laicado – formação de líderes”; A pastoral de conjunto e a integração pastoral dos leigos”; “A participação nas decisões e os Conselhos Pastorais”; “A promoção de Movimentos e Associações de Fiéis”; “Um novo modelo de Igreja: Comunidade ministerial” são os temas que estão agora à consideração de todos os padres da Diocese e dos quais vão escolher dez, por ordem de importância e que gostariam de ver tratados na Assembleia Geral de Abril.

“Fico esperançado que seja um acontecimento importante dentro do Ano Sacerdotal”, referiu D. Manuel Felício, sobre a Assembleia Geral do Clero.

Recorde-se que os padres da Diocese da Guarda estiveram reunidos ontem e hoje, 3 e 4 de Fevereiro, em Jornadas de Formação sobre “A dimensão evangelizadora e missionária do Ministério Ordenado”. Os trabalhos foram orientados pelos Padres António Gomes Dias, Provincial dos Redentoristas e José Brito, da diocese da Guarda.

No encerramento das Jornadas, O Bispo da Guarda congratulou-se pelo elevado número de padres presentes e pela participação activa demonstrada. “Fomos interpelados por quem, com conhecimento e experiência, nos falou sobre o nosso ministério”, referiu D. Manuel Felício.

publicado por dioceseguardacsociais às 17:41